Review – A Cor que Caiu do Espaço (Color Out of Space – 2019).

 

Por Calil Neto

27 de janeiro de 2020.

Aaaaamei! A Cor que Caiu do Espaço ( Color Out of Space – 2019) é dirigido e escrito por Richard Stanley, um grande fã de H.P. Lovecraft, escritor do qual o conto The Color Out of Space serve como base. Sua mãe foi a grande responsável por Richard gostar das obras do popular escritor americano. Na carreira do diretor temos alguns clássicos do gênero como Hardware: O Destruidor ( 1990) e O Colecionador de Almas ( Dust Devil – 1992).

 

 

Este longa dá abertura a um universo de horror cósmico lovecraftiano: o conto  The Dunwich Horror também está nos planos. Foi enquanto estava participando do também belíssimo Mandy, também da SpectreVision , produtora fundada por Elijah Wood e Dan Noahque, que perceberam que Nicolas Cage era o ator ideal para participar da adaptação de H.P Lovecraft  no papel do personagem fazendeiro que extrai leite de Alpacas Nathan Gardner que deixou a cidade grande e foi com a família, a mulher e os três jovens filhos, para um local interiorano. Neste local em meio ao campo cai um meteorito alienígena e fatos estranhos começam a acontecer nas redondezas e com a família de Nathan. Até um filha bruxinha o cara tem, Lavinia ( Madeleine Arthur )…

 

É um filme que é riquíssimo visualmente. Em alguns momentos parece que é um pintura que o espectador está presenciando… Um sonho… um devaneio! Um dos bons filmes deste começo de 2020!

Nota: 3,5 de 5,0.

Review – O Povo Contra Larry Flint (1996).

Por Calil Neto

26 de janeiro de 2020.

Em uma época em que vivemos no Brasil abordando questões como censura dos meios de comunicação, liberdade de pensamento e até a censura recente ao filme de natal do Porta dos Fundo da Netflix com questões religiosas temos esse exemplar dos anos 90 O Povo Contra Larry Flint ( The People vs. Larry Flynt – 1996 ) do ótimo diretor Milos Forman falecido em 2018, o mesmo de grandes clássicos como Um Estranho no Ninho (1975) e Amadeus (1984).

Com roteiro de Scott Alexander e Larry Karaszewski temos baseado em fatos reais a trajetória de Larry Flynt ( Woody Harrelson ), que possuiu um clube de striptease e que depois se torna o famoso e rico proprietário e editor da revista de mulher pelada Hustler que tinha uma certa ousadia em relação às revistas concorrentes como a própria Playboy e em certas ocasiões até misturava religião com sexo. Larry se casa com uma dançarina de sua casa noturna Althea ( Courtney Love ) e passa a ser perseguido por causa de seu diferencial e por causa da diferente proposta da revista pelo governo, pela imprensa e por grupos religiosos. Um filme que mostra a importância da imagem para o público leitor. A importância da imagem na vida das pessoas e se ela pode  influenciar na vida das pessoas. Imagens e símbolos.  O impacto de uma imagem na vida das pessoas. Convivi e tive aula na faculdade de jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie com alguns profissionais que estudavam o impacto das imagens na vidas das pessoas como os professores Malena Contrera e Norval Baitello Júnior com a Iconofagia.

 

 

Um filme para quem gosta de comunicação e revistas impressas ( que aos poucos está sendo substituída pela internet e digital), para profissionais da comunicação e para quem luta por uma liberdade de pensamento na sociedade. O filme também tem um lado jurídico como casos de difamação e danos morais.

Nota: 4,0 de 5,0.

Review – Dois Papas ( The Two Popes – 2019 ).

 

Por Calil Neto

30 de dezembro de 2019.

Dois Papas ( The Two Popes – 2019 ) é o novo filme do diretor brasileiro Fernando Meirelles com roteiro de Anthony McCarten que com certeza é um dos grandes filmes do ano que se encerra com 4 indicações na premiação do Globo de Ouro de 2020 como na categoria de melhor filme em drama. Com produção da Netflix mostra uma ficção com elementos que realmente são verdadeiros em uma Igreja Católica envolvida em diversas polêmicas como casos de pedofilia de padres: o que impulsiona  que o papa Bento XVI renuncie ao mais importante cargo dentro da Igreja. Mostra a relação de Bento XVI vivido pelo magnânimo Anthony Hopkins com o futuro e atual papa Francisco ( Jonathan Pryce )  que quer se aposentar da carreira de padre e precisa de sua autorização para deixar a profissão. Eu acredito que a mensagem do filme é passar ao espectador a reflexão de um mundo mais liberal que está vindo ( e já vivemos!) no lugar de um mundo conservador e autoritário. Papa Francisco é um papa mais liberal do que era o Papa alemão Bento XVI, conservador. E isso notamos no mundo que estamos vivendo, não somente dentro da Igreja Católica. Um comandante da Igreja mais liberal é o ideal e foi o que aconteceu. Temas como aborto, controle de natalidade, casamento entre pessoas do mesmo sexo, celibato são pontos importantes do filme.

Um filme muito bonito com uma pegadinha de humor e descontração. Tango, paixão de Papa Francisco, e futebol, paixão mundial e do brasileiro não é Fernando Meirelles?) não poderiam estar de fora. SPOILER!

 

 

———————————————————-

A sequência em que o conservador Papa Bento XVI faz um dancinha com o futuro Papa argentino Francisco é a melhor. ADOREI! A performance dos dois padres é fantástica.

Nota: 4,0 de 5,0.

Review – Star Wars: A Ascensão Skywalker (2019).

 

Por Calil Neto

26 de dezembro de 2019.

CUIDADO SPOILERS

Star Wars: A Ascensão Skywalker (Star Wars: Episode IX – The Rise of Skywalker – 2019) é o nono e último episódio ( sem contar os spin-offs) de uma das maiores sagas de ficção científica de todos os tempos do cinema que começou com Star Wars, Episódio IV: Uma Nova Esperança lá em 1977. É o desfecho com louvor da saga Skywalker após a aquisição da Lucasfilm pela Disney.

 

 

 

Dirigido pelo grande J.J.Abrams que substituiu Colin Trevorrow na direção e com roteiro reescrito por Abrams com auxílio de Chris Terrio traz de volta o vilão da trilogia clássica Palpatine e da trilogia prequel vivido novamente pelo ator Ian McDiarmid que é o maior anti-herói de toda a saga, criador do Snoke ( personagem que AMEI!), e maior até que o icônico Darth Vader que estava escondido realizando suas atrocidades. CUIDADO MUITO SPOILER. Palpatine quer levar sua neta Rey ( Daisy Ridley ) para o lado negro da força e que o substitua no trono para liderar os Sith . Aparece o espírito de Han Solo ( Harrison Ford ) para conversar com seu filho Ben Solo ou mais conhecido pelo mundo das trevas de Kylo Ren ( Adam Driver ) que o ajuda a ir para o lado da resistência contra a 1a Ordem. Kylo Ren parece que foi um personagem com seu vozeirão quando estava de máscara ser um novo Darth Vader.  Aparece também o espírito de Luke Skywalker ( Mark Hamill ) para ajudá-los e a general Leia ( atriz Carrie Fisher falecida em 2016, com cenas gravadas antes de sua morte  ) que se despede da saga. Até os clássicos Ewoks aparecem neste nono episódio.  Um brilhante encerramento que não deixa de dar um clima para os fãs novos e antigos de nostalgia. SÓ FALTOU O BABY YODA NO FILME. KKKKK

Nota: 4,0 de 5,0.

 

Review – O Farol ( The Lighthouse – 2019)

 

Por Calil Neto

26 de dezembro de 2019.

Conferi um dos filmes mais aguardados por mim O Farol ( The Lighthouse – 2019 ) da A24 dirigido pelo promissor Robert Eggers, o mesmo do maravilho clássico do gênero deste século XXI A Bruxa ( The VVitch: A New-England Folktale ) de 2015 com produção novamente do brasileiro Rodrigo Teixeira com sua belíssima fotografia em preto e branco que aborda a questão da solidão humana.

 

 

 

 

O enredo é muito simples mas bem interessante com uma relação turbulenta de dois personagens Thomas Wake ( o grande ator Willem Dafoe que adoro! ) e Epharim Winslow ( Robert Pattinson ) que cuidam de um farol que é comando pelo velho Thomas que tem um comportamento doentio de superioridade em relação ao seu jovem funcionário. Thomas fica sempre esculachando seu subordinado e não deixa ele acessar de jeito algum a luz do farol. Os dois personagens estão sempre com uma bebidinha alcoólica e rindo das desgraças de suas vidas. O longa envolve o sobrenatural como a presença de uma bela sereia pela qual Winslow tem uma tara sexual em um local onde somente tem dois moradores. Os fato dos dois personagens estarem em boa parte do longa com bebida alcoólica faz o espectador refletir o que é realidade ou não.

 

 

Um trabalho de amadurecimento do ator Robert Pattinson ( High Life com ele também é bem bacana! ) que hoje pode ser considerado um dos grandes atores jovens de Hollywood.

Assim como o filme A Bruxa (2015)  O Farol também é uma obra-prima! Um dos grandes longas do ano.

Nota: 4,0 de 5,0.

Review – Hércules em Nova York ( 1970 ).

Por Calil Neto

22 de dezembro de 2019.

O fisiculturista austríaco de sucesso Arnoldão Schwarzenegger como Arnold Strong vai parar em seu primeiro filme da carreira de ator na pele do bravo herói Hércules dentro do universo da mitologia grega e já vai mostrando que tem mesmo talento para os seus magníficos futuros action and fantasy movies da carreira como Conan e O Exterminador do Futuro, entre outros. Hércules está triste no Monte Olimpo e decide vir para a Terra mesmo com seu pai Zeus ( Ernest Graves ) às avessas. O grande homem Hércules vai parar na metrópole de Nova York, em terras americanas, nos dias atuais e vai parecer um cara meio atrapalhado, mas na real o cara não tem nada de atrapalhado. Os tempos que são outros.  Schwarzenegger por causa de seu sotaque teve no longa de Arthur A. Seidelman sua voz dublada em inglês. A melhor sequência do longa é quando Hércules comando uma carroça se posso falar que é uma carroça nas ruas de Nova York. É aquele filme com humor bobinho com uma produção simples mas que vale a pena por ser o primeiro filme de um futuro astro do cinema mundial. Um filme até que divertido.

 

 

 

Nota: 3,0 de 5,0.

MEU TOP 10 DOS FILMES MAIS AGUARDADOS PARA 2020.

Eu tô na lista?

 

Por Calil Neto

20 de dezembro de 2019.

AQUI ESTÁ MINHA LISTA DE TOP 10 DOS MAIS AGUARDADOS PARA 2020. Muitas boas novidades devem aparecer ao longo do ano dentro do cinema independente e blockbusters!

 

12 (EXTRA 2)  – O  Farol ( The Lighhouse – 2019 ) de Robert Eggers com Robert Pattinson e Willen Dafoe. Não sei se posso colocar nesta lista, mas tudo bem!

11 (EXTRA) – Tenet (2020) de Christopher Nolan com uma proposta muito interessante.

 

10 – Joías Brutas ( Uncut Gems – 2019) com Adam Sandler na Netflix.

 

9 – Maria e João: O conto das Bruxas (2020 ) de Oz Perkins

 

8 – The Lodge de Severin Fiala e Veronika Franz

 

7- O Grito (2020)

 

6 – Sonic: O Filme (2020)

 

5- Duna (2020) de Denis Villeneuve

 

4-Caça-Fantasmas: Mais Além (2020)

 

3 – Invocação do Mal 3 (2020)

 

2- Bill & Ted: Encare a Música (2020)

 

1- Halloween Kills (2020)

O Irlandês (2019) reforça a magia que é o cinema.

O Irlandês 2019
Foto: Divulgação/ Netflix

 

 

Por Calil Neto

02 de dezembro de 2019.

UM FILME EXPLÊNDIDO! Conferi essa belíssima produção da Netflix O Irlandês ( The Irishman – 2019 ) de Martin Scorsese, um especialista em filmes de máfia e um monstro do cinema, que é forte concorrente a diversas estatuetas do Oscar em 2020 trazendo no elenco três veteranos Robert De Niro, Al Pacino e Joe Pesci em longa baseado em livro de 2004 de Charles Brandt I Heard You Paint Houses com quase 3 horas e meia de duração que para mim passou rapidinho tamanha minha admiração pelo longa. Robert De Niro também esteve envolvido na produção. Steve Zaillian, co-roteirista de Gangues de Nova York de 2002 terminou o primeiro rascunho do roteiro de O Irlandês apenas em 2009 e passou por dificuldades para chegar nas telonas ou em um serviço de streaming. Com impressionantes efeitos visuais da Industrial Light & Magic e um ótimo trabalho de maquiagem O Irlandês confirma e REFORÇA ainda mais como a tecnologia no cinema tem evoluído nesta última década. Vale lembrar de filmes como Projeto Gemini com Will Smith, Capitã Marvel, Tron: O Legado de 2010 com Jeff Bridges mais novo, entre outros… Sem deixar de falar no ator Peter Cushing que ressuscitaram no spin-off de Star Wars Rogue One. O Irlandês (2019) reforça a magia que é o cinema. 

Nota: 4,5 de 5,0.